Administrado por:

 


Reunião em Brasília, 20 de janeiro de 2009
11/12/2008

Representantes da ABIRP – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS INDÚSTRIAS RECICLADORAS DE PAPEL e da ANAP – ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS APARISTAS DE PAPEL em reunião em 20 de janeiro de 2009, com o Presidente da Câmara dos Deputados em Brasília – DF., discutindo as possibilidades de incentivos à reciclagem de papéis através de leis que possibilitem o reconhecimento público de que OS RECICLADORES DE PAPÉIS SÃO AGENTES AMBIENTAIS e como tais deveriam ser tratados com a ISENÇÃO DE TRIBUTOS em suas atividades e aos seus produtos.

Compareceu a reunião os senhores:

Sr. Alexandre Siqueira (Indústria de Papéis e Embalagens Irmãos Siqueira);Dr. Adalzino Modesto de Paula Jr. (Porto Feliz S/A Embalagens de Papelão Ondulado);  Dr. Celso Luiz Pedrino ( São Carlos S/A. Indústria de Papel e Embalagens); Dr. Arlindo Chináglia (Presidente da câmara dos Deputados); Sr. Manoel Lúcio Padreca ( ABIRP / ANAP); Sr. Marcelo Zucolotto Galvão Cesar (presidente da ABIRP); Sra. Lygia Maria Bacciotii Garcia ( Fábrica de Papelão Santa Maria Ltda.); Sr. Jair Vitorino (Capital Recicláveis); Sr. Ronaldo Perissoto da Silva ( Dionísio Recicláveis)

Arte de Reciclar

O que para muita gente é lixo e não serve para nada se transforma em arte nas mãos da artista plástica Zélia Bogar, que se auto-intitula ‘a rainha da caçamba’. Ela procura nos restos de material de construção a inspiração para a decoração do Natal Luz, organizado todo mês de dezembro pela ACIRP - Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto. “Eu amo uma caçamba e tudo o que a gente acha dá para aproveitar”, diz Zélia.

Na decoração deste ano são usadas 70 mil garrafas pet, retalhos de madeira e ferro. As garrafas são transformadas em estrelas e flores para a árvore de Natal, que fica na praça Carlos Gomes, e em toda a extensão das ruas centrais da cidade e na avenida Nove de Julho. “Os restos de madeira eu uso para fazer a casinha do Papai Noel, na esplanada do Theatro Pedro II, e todo o ferro vai para a estrutura do que fazemos”, explica a artista.

Fonte:  Jornal A Cidade